POLÍTICA

No Brasil da União e Reconstrução, Lulistas atacam jornalista do Estadão por expor visita da "dama do tráfico" ao Ministério da Justiça

Por sou curitiba

20/11/2023 às 15:30:06 - Atualizado hĂĄ
Foto: Reprodução

Após a divulgação de uma matéria pelo jornal O Estado de S. Paulo sobre a visita da esposa de um lĂ­der da facção criminosa Comando Vermelho ao Ministério da Justiça, apoiadores do governo Lula iniciaram uma série de ataques nas redes sociais contra a jornalista Andreza Matais, autora da reportagem.

Entre os que proferiram ofensas contra a jornalista estão os deputados federais Ivan Valente (PSOL-SP), Nilto Tatto (PT-SP) e Rubens Pereira Jr (PT-MA), além do influenciador Felipe Neto. Este Ășltimo chegou a chamar a jornalista de "dama das fake news", mas apagou o post e se retratou.

A onda de ataques teve origem a partir de um texto veiculado no site da Revista Fórum, alinhada ao grupo lulista, no qual alegava-se que colaboradores do Estadão teriam apresentado uma denĂșncia contra Andreza no Ministério PĂșblico do Trabalho, alegando uma suposta pressão para associar, em uma reportagem, o ministro da Justiça, FlĂĄvio Dino, à esposa de um lĂ­der do trĂĄfico de drogas.

O texto da Fórum, no entanto, não mencionava nomes dos supostos denunciantes nem provas, apenas prints com o relato da suposta acusação. A jornalista afirma que se trata de uma denĂșncia falsa e que o departamento jurĂ­dico do jornal foi acionado.

O diretor-executivo de jornalismo do Grupo Estado, EurĂ­pedes AlcĂąntara, disse que "a reação furiosa orquestrada nas redes sociais contra jornalistas do Estadão em nada diminui a qualidade da apuração da reportagem sobre as intimidades da dama do trĂĄfico com altos funcionĂĄrios pĂșblicos".

"Ela [onda de ataques] mostra apenas a incapacidade de certos setores de conviver com o jornalismo independente", completou EurĂ­pedes.

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, também endossou as acusações contra Andreza, escrevendo em seu perfil no Twitter que se tratava de uma "gravĂ­ssima denĂșncia". Ela também fez menção à rĂĄdio Eldorado, do mesmo grupo que publica o jornal, ao dizer que "o conteĂșdo mentiroso contra o ministro foi turbinado e divulgado também pela rĂĄdio".

O ministro da Justiça, FlĂĄvio Dino, também fez uma postagem no Twitter sem citar a jornalista, mas em tom de endosso às supostas acusações. Ele disse que leu reportagem "desmontando as vis difamações contra mim engendradas", ainda que não se saiba de que forma teria ocorrido a suposta pressão contra os jornalistas.





entreparagrafos







Fonte: Gazeta Brasil
Comunicar erro
Sou Curitiba

© 2024 - Sou Curitiba - O portal de notícias que mostra o outro lado da política. Informação na palma da mão!
Todos os direitos reservados - Proibida a cópia integral ou parcial do conteúdo sem autorização.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

Sou Curitiba